quarta-feira, 13 de março de 2013

Projeto Arte e Cultura



 Projeto Arte e Cultura na Escola
"Motivando a Aprendizagem"
 

        O projeto Arte e Cultura na Escola é um projeto sócio educacional que teve início em setembro de 2009, na E.E.I.E.F Francisco Domingos situada no sítio Taquarati, na cidade de Ibiapina –Ceará, complementando o horário escolar com aulas de música em suas modalidades; violão, teclado, bateria.
 
      
A comunidade tinha uma grande fama de ser violenta, muitas pessoas de fora temiam em trabalhar na região, porém a realidade teria que mudar e, a única maneira seria através da educação, eis o  único suporte para mudar o futuro, a música foi um instrumento de interação, mudança e socialização.

    Transformar a realidade dos alunos, mostrando talentos onde parecia não existir, aumentando a autoestima e incentivando-os a sonhar, buscando uma interação ensino-aprendizagem, alimentando a personalidade para que se tornem pessoas de bem. 




 DESENVOLVIMENTO
A ideia do projeto se iniciou com uma palestra motivacional, ministrada pelo coordenador do Grêmio estudantil, Pedro Pereira, do qual relatava a importância da arte da música para os alunos. O secretário escolar André Malta não mediu esforços para dar o ponto inicial do projeto, que se iniciaria mais tarde com a confecção de uma bateria Artesanal.

 Na primeira semana os alunos coletaram baldes, latas, lajotas, pedaços de madeiras, para construção da bateria artesanal, os alunos envolvidos nesse trabalho foram Álesson de Sousa, Júlio Cesar, Samuel Rodrigues, Leonardo Rodrigues e Carlos Henrique.
Recém-construída a bateria já estava pronta para uso, porém faltavam os outros instrumentos, então os alunos foram à procura deles pela comunidade, alguém que pudesse doar ou emprestar os instrumentos. O aluno Samuel Rodrigues conseguiu emprestado um teclado na comunidade, também o Júlio Cesar conseguiu ganhar um violão, e por fim o pai do aluno Leonardo Rodrigues já tinha uma sanfona infantil, a escola já dispunha de uma caixa amplificada e de um microfone e assim foram dados os primeiros passos.
            A partir dai começaram as aulas de teclado, violão, vocal e bateria, A empolgação era visível nos alunos envolvidos com o projeto, eles estudavam a tarde e se revezavam nas aulas individuais pela manhã, e no horário de 12H: 00s às 13H: 00 (Meio dia à uma hora da tarde) em conjunto.

.O grupo que assim formado, deu-se o nome de Brilhantes do Taquarati, o nome veio do título da Agenda do Grêmio Estudantil que se chamava; “Brilhantes” com uma singela homenagem a comunidade.  A primeira apresentação do grupo foi na Culminância do Programa Agrinho daquele mesmo ano.
No encerramento do Programa Agrinho e em sua primeira apresentação os Brilhantes do Taquarati, surpreendeu a todos que ali se encontravam presentes, pois tinha havido um mínimo de ensaios, e poucos sabiam da existência do projeto de música na escola.
 Depois da apresentação os Alunos não se tinham outro assunto a comentar, eles queriam aprender cada vez mais, em consequência a escola começava a ser vista por a comunidade e principalmente pelos alunos com algo atrativo.
A professora do 5º e 6º ano Cristiana identificou algumas mudanças no comportamento, rendimento e frequência. Segundo  a professora depois do projeto melhorou muito o trabalho de ensino-aprendizagem.
A professora Danielle Carvalho do 5º e 6º ano também conseguiu identificar mudanças consideráveis, e até sugeriu que o projeto tinha que ser estimulado para turmas menores, complementando e ajudando neste processo de aprendizagem.
No ano seguinte, mas precisamente em 2010, o Secretário escolar, e até então professor de música André Malta, estendeu as aulas para os alunos do 3º e 4º anos, com o objetivo dar mais força ao projeto e incluir um número maior de alunos, já que a procura pelas as aulas já estava em frequente busca.
 
 Em 2010 o projeto abrangeu aproximadamente 26 alunos entre meninos e meninas na faixa etária de 9 a 14 anos. Seguindo o mesmo modelo de aulas, foi escalonado durante toda a semana dividida em todas as modalidades, e aos sábados pela manhã o grupo “brilhantes do Taquarati” ensaiava.


Durante esse processo, o teclado emprestado foi vendido então o que tornou no cancelamento das aulas de teclado, ficando apenas aulas de violão , vocal e bateria.  As aulas tiveram reinício somente em agosto na comemoração do dia dos pais quando o comunitário Celinho Mendes doa um teclado para o projeto.
 
Com a doação do teclado o projeto toma outro gás e, então é marcada uma Culminância a fim de mostrar todos os trabalhos feitos até o momento, que foi realizado no dia 20 de novembro de 2010.








REPERCUSÃO


O Jornal CORREIO IBIAPABA em sua edição Especial nº12 dezembro de 2010 e janeiro de 2011, traz em sua capa como Título: “Destaque Especial Fazendo a diferença”, o projeto Arte e Cultura na escola.O Jornal Correio Ibiapaba é um Jornal de caráter informativo a nível regional e é comercializado em toda a Serra da Ibiapaba a mais de 03 anos revelando talentos e trazendo informações a todos os cidadãos da Serra da Ibiapaba.




Em 2011 o projeto teve um pequeno declínio, pois a maioria dos alunos envolvidos no projeto de música seriam transferidos para outras escolas, porque a Instituição de Ensino não dispunha de salas suficientes para acomodar as turmas seguintes.
Com a mudança de escola dificultou o andamento do projeto, pois os alunos se matricularam em turnos diferentes, nesse momento alguns instrumentos doados já não funcionavam mais, então a escola só dispunha de um teclado para as aulas.
Para manter o projeto vivo o professor André Malta reabre as inscrições para aula de música somente na modalidade teclado, porém alguns alunos iniciaram e logo desistiram por falta de instrumento, pois só havia um teclado para uma boa quantidade de aluno por horário.
Em segundo plano se reuniram os alunos do Projeto “Brilhantes do Taquarati” para dar continuação, ficando todos de acordo começaram as aulas nos fins de semana, pois era o único horário que todos estavam disponíveis.
Com vários ensaios os “Brilhantes do Taquarati” já estavam preparados para mostrar seu trabalho, e assim foram surgindo convites para tocar nas escolas e em  algumas culminâncias de  projetos, a única dificuldade era com bateria do projeto que sempre acabava dando problema e isso fazia com que fosse alugada uma para tocar.
 Já no ano de 2012 com a ajuda da Secretaria de Educação do Município de Ibiapina, o Secretário de Educação recém-empossado Walfrido em visitas as escolas toma conhecimento do projeto e logo se propõe a ajudar e faz uma busca de todos os instrumentos inativos nas escolas da rede municipal.
Foram recolhidos nas escolas quatro teclados e um violão, todos em ótimo estado e foram remanejados para E.E.I.E.F Francisco Domingos. Com a notícia de mais instrumentos, novamente o projeto toma outro impulso, as inscrições novamente são reabertas e surpreende com a quantidade de mais de trinta alunos para aulas de teclado.



.

PROJETO ARTE E CULTURA NA ESCOLA
“MOTIVANDO A APRENDIZAGEM”

            Aprender música inspira atitudes positivas, bem como uma imagem positiva da criança, um desejo de atingir a excelência e a habilidade de definir objetivo e trabalhar em grupo para alcançá-los. Os estudantes que aprendem música têm melhores resultados em leitura e matemática. Estatisticamente, os músicos são cidadãos com menores taxas de crime, quando comparados com o resto da população.
            Entendemos que o processo de crescimento de uma criança está muito além apenas de seus aspectos físicos ou intelectuais; esse processo envolve outras questões, certamente tão complexas quanto às da maturação biológica. Dessa forma, optamos por trabalhar a ideia de desenvolvimento infantil a partir de uma abordagem mais ampla, abarcando também seus aspectos de amadurecimento afetivo e social, sem deixar de lado, obviamente, o aspecto cognitivo.


               

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário